Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2010

imitação do vento

num porto que se desfaz em areia se expoem ao desamparo as falésias constroem trilhas abrem fendas as mãos de um vento que não descansa
as velas levam os pensamentos não me lembro se uma corrente me trouxe rumos brancos ou a fera inútil ao meu leito se uma criança acorda num país tão perto da bonança
ainda que fosse outro no barco o vento não iria esquecer as orlas
as águas não prometeriam chegarem mansas  ainda que se esqueça ou que se lembre tem muitos barcos a esperança

flor de mandacaru em Morro Branco

Foto: Salomão Sousa Só para colorir o blog, flor de mandacaru que fotografei em Morro Branco (CE)

"Estive em Águas Belas
e fiquei sem pensamentos.
Levou-os o vento."

Mais uma importante livraria do Brasil vai cerrar as portas

Foto: Maria Antonieta Bezerra e Salomão Sousa

Em visita a Fortaleza agora neste final de setembro de 2010, estive na Taberna Livraria acompanhado dos escritores Nilto Maciel e Pedro Salgueiro, e fomos informados por Maria Antonieta Bezerra, proprietária da livraria, que brevemente entrará num processo de liquidação de algumas áreas dos 17 mil volumes do acervo até o encerramento total das atividades do estabelecimento.

A Taberna Livraria – mais antiquário que sebo, pois está voltada para um acervo mais seletivo – está em atividade há doze anos.  Antonieta, ao esclarecer que a livraria Taberva nunca foi um grande empreendimento, talvez pela falta de seu tino comercial, não se aventura a apresentar causas específicas para o acelerado processo de fechamento das livrarias brasileiras. Ela, que é bibliotecária aposentada, disse que já assistiu várias crises que ameaçaram a existência do livro. Primeiramente, a microfilmagem, que acabou ficando restrita aos jornais; depois, a xerox (relemb…

Viagem a Fortaleza

Foto: Nilto Maciel, Pedro Salgueiro e Salomão Sousa na oficina da Taverna Livraria.


Os amigos Nilto Maciel e Pedro Salgueiro me salvaram em Fortaleza. Eu queria conhecer as livrarias da cidade e só conseguia localizar quiosques de venda de livros didáticos ou de ponta de estoque. Depois de passarmos uma tarde na Taberna Livraria, Pedro Salgueiro me levou à Livraria Arte & Ciência, que está localizada no bairro Benfica. Esta livraria funciona em dois andares, com livros novos e usados. E bom acervo. E uma linda atendente de olhos azuis.

Agradeço ao Nilto Maciel e ao Pedro Salgueiro a oportunidade de viver estas aventuras na capital do Ceará, inclusive a troca do pneu furado. 

Volto para Brasília com os livros do Pedro Salgueiro e de exemplares das revistas Para mamíferos e Caos portátil, por ele dirigidas. Além da antologia Contistas do Ceará, organizada por Nilto Maciel. De imediato, a revista Para mamíferos me encantou pelo conteúdo e pela visualidade; e, também a antologia do …

Kipling

Terminei de ler hoje o romance "Bel-Ami", de Maupassant. Leitura gloriosa! De uma temática de contundente atualidade, pois trata da inescrupulosidade humana. Melhor só Ivan Ilitch, de Tolstoi.

Estou lendo o conto "O homem que queria ser rei", de Kipling, na edição que está sendo lançada nas bancas pela editora Abril. Belíssima coleção, em pano, impressa na Itália, e a preço módico. Interrompo a leitura para transcrever uma frase do conto, que é de um verdadeiro poeta:

"Ouro eu vi, e turquesa chutei na rocha, e tinha granadas na areia do rio, e aqui está um pedaço de âmbar que um homem me trouxe."
Todas as coordenadas trazem o nome de uma pedra preciosa, inclusive a "granada". O ouro contido nas palavras vai desaparecendo da narrativa contemporânea! 


Teklando com o poeta e amigo Sóter

Sóter: olá, salomão. com vai?


Salomão Sousa: estamos aqui, sonolento, após assistor um Woody Allen

E você? Na fazenda!

Sóter: nada. tô qui no entre lagos, mesmo.

e vc. escrevendo muita poesia?

Salomão Sousa: mais ou menos. tenho trabalhado muito.

já que poesia não é trabalho.

Sóter: é. estou terminando um novo livro, pra comemorar os 50 anos de brasília. deve sair antes do fimdo ano.

Salomão Sousa: eu também estou com um pronto, mas me atrapalhei na captação de recursos do FAC.

depois eu vou ver como viabilizo financeiramente o projeto.

b urocratizaram depois o FAC, mil e uma exigência, fichas, o diabo a 4.

Sóter: eu nunca utilizei recursos do fac. um dia desses estava na secretaria e procurei saber como participar e me deram umalista de burocarcias a romper e... como nãotive tempode voltar, até hoje não sou cadastrado.

Salomão Sousa: o cadastro é o mais fácil.

eles precisam partir para outro sistema.

selecionar o material e fazer uma única tomada de preço.

o autor não tem que ficar p…

strass

Pelo estrugir do engarrafamento passar
como as águas que moveram o moinho

Esquecer de esquecer o sussurro sobre
o amante playboy da Cibele
Depois de não ter dúvidas de conhecer
o namorado que morreu sem pagar as dívidas
andar pelo shopping cheio de strass

Não será mais a antropologia
de juntar cacos e contar ripas
e se enfiar debaixo da cerca do stress
Ainda mais que atravessou a fronteira
o amigo que levantava o arame em Tamaulipas

Virás 
Em tua pele incrustar um Rivera
um crustáceo de um mar íntimo
Aparecerão tuas virilhas quando
assim que quebrados os vidrilhos
Tanto faz Levi-Strauss em nosso gás