Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2010

josé carlos peliano

Década de 2011 (Bsb 28/12/10) dê cada emoção de si de cada sentimento seu de cá da roda da vida década inteira que a década seja inteira de cá da roda da vida de cada sentimento dê cada emoção de si a cada, qualquer, como se fosse a você

Luiz Martins da Silva

Amar sem fim Amar a esmo, A qualquer ser. Até a lesma Sabe lhe lamber. Amar é o Verbo, Palavra-clave, Parábola-chave, Chama do verso. Amor sem limite, Do grão ao Graal, Da gota ao mar, Da flor ao infinito. Onda de encanto, Formiga no tempo, Abelha e baleia. Chuva ou vento, Pólen ou poeira, Homem ou sereia.

Heleno Godoy

Noite de Natal, 2010

Num ano, perde-se o pai; noutro, ganha-
se um neto e, no entanto, não se trata de,
após a flor, aguardar pelo fruto e por sua
semente consequente, nova possível rama

e rumo, como se numa sucessão ou rota.
Nesta noite, como em outro qualquer ano,
este anjo apenas de novo iludir vem sonhos
nossos, oferecer-nos essa sensação que não

sacia jamais nossa fome sempre e cada vez
maior, pois é somente isso o que este anjo,
nesta noite, nos proporciona: não a supres-
são pela ordem, nem a possível sequência;

só mesmo esta repetição, mais nada, como
se jamais soubéssemos ou pudessemos dis-
tinguir, nesta noite, o que é esperança do
que não passa de mera ilusão da eternidade.

Resposta de Francisco Kaq

Não sou o Sousa nem a Francisca mas saúdo (e subscrevo) suas sentenças natalinas
plenas de encanto e  salomônico saber; e se o vinho afogueando me sobe, audacioso eu somo: outro alimento esteja em nossas mesas, almas, cabeças...
pois também de palavras sonoras pungentes viveremos em 2.011. Francisco K

Saudação de Natal

Mensagens natalinas

Publico aqui dois poemas que recebi entre as mensagens natalinas que já me foram enviadas neste fim de ano. O amigo Sérgio Gaio encaminhou um poema de Anderson Braga Horta, e Miguel Jorge encaminhou um poema de sua própria autoria. Saúdo a todos com estes poemas dos meus amigos.

JESUS


Anderson Braga Horta

Noite clara em Belém. Canta em surdina
o luar no firmamento constelado.
Natal — noite de luz, noite divina.
Cristo — um lírio na treva do pecado.

Brilha agora, no céu da Palestina,
meigo, intenso clarão abençoado:
do espaço, a Estrela aos simples ilumina
o berço do Senhor recém-chegado.

Os Reis Magos e os cândidos pastores
dão-lhe incenso, ouro e mirra, hinos e flores...
E o Menino, alegrando-se, sorria.

José fitava o céu, todo ventura.
E as estrelas, chorando de ternura,
cintilavam nos olhos de Maria.

Série de autógrafos do blog

Nesta segunda-feira (6.12.2010) aconteceu a anual festa de confraternização da Associação Nacional de Escritores (ANE), da qual não sou só sócio, mas aluno de poesia, pois foi nela que convivi com grandes poetas de Brasília ou que passaram por Brasília. Desde meus tempos de estudante de Jornalismo que eu passava noitadas sentado ao lado de Domingos Carvalho da Silva, Fernando Mendes Viana, Esmerino Magalhães Jr., Anderson Braga Horta, e de Luiz Beltrão e da Prof. Zita — estes meus professoras no CEUB.

Aproveitei, durante a confraternização para coletar alguns autógrafos para inclusão no blog.  São escritores de minha íntima convivência e de grande importância para história cultural do Distrito Federal.

Terezy Fleuri de Godói — poeta, lançou recentemente um livro de haicais, com nossa ligação afetiva por Goiás;
Danilo Gomes — cronista, alegra-se ao encontrar os amigos nos jornais;
José Jeronymo Rivera — tradutor, irmão siamês de Anderson Braga Horta, de vasta cultura humanista;
Anderson Br…

Autógrafos do Blog — Danilo Gomes

Foto: Salomão Sousa

Autógrafos do Blog — Anderson Braga Horta

Foto: Salomão Sousa

Autógrafos do Blog — José Jeronymo Rivera

Foto: Salomão Sousa

Autógrafos do Blog — Napoleão Valadares

Foto: Salomão Sousa

Autógrafos do Blog — Fontes de Alencar

Foto: Salomão Sousa

Autógrafos do Blog - José Carlos Brandi Aleixo

Foto: Salomão Sousa

Autógrafos do Blog - Terezy Fleuri Godói

Foto: Salomão Sousa