Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2014

Das perguntas

Estar de posse das respostas e as dúvidas se contorcem na mola tencionada para não virem ficar à mostra A mão sangra e doura  o sangue a superpor as luzes e não houve indagação se era para entrar no bote da ordem ou vir da adivinhas da sorte Dos caixas que agora são detritos e se houve a pistolagem  com pólvora e tiros nas latas Não perguntaram se foi roubo ou atrabiliário atrito de fuzis Entrega ao marginal próximo se a indiferença diária não traz movimentações pátrias mãos aos talhes/tule aos olhares domésticos
A obrigação das perguntas para saber o que já é conhecido ainda que a embrenharem deixe no reboque Não será claro se não houver luz ou se ouvir será experiência do solo que foi descrito com caminho para os currais ou às covas das sadias mudas Perguntas com fúria poderão vir Como inserir a poesia num gabarito ou pôr o coração para secar quando atacam-no pátinas corrosivas
Há flagrância de água e de terra se é o cheiro de chuva o inalado Não há resposta para o mel se não foi v…

Essência

E se decompõe a pétala
e cinzas virão dos ossos
E se recompõe a flor
em outro momento já morta
e o que o homem pensa
não vai se esvair num fosso

E se alguém passa a mão
não se lacera com a maldade
nas legendas cunhadas em cera
que algum outro recorta
Não importa se ao caminho 
foi imposta a derrota
Dos que poderiam seguir com o orvalho
esvai-se a essência da cânfora
e da rosa que o sol macera

Apodrecimento das vigas
dos suportes dos olhos
Na manhã a folha úmida
com a bondade
que foi a nuvem que cai
Na fronteira atravessa os postos
a essência do velho 
que veio das pétalas do moço

São os evidentes passos 
em que andam as conquistas
e também as derrotas
Se recompõe a essência
antes volátil dos mortos
Poderia ter existido 
depois de sair por um sopro

E se o campo compõe os ganchos
de braços retortos
e os brotos pensam frutos
e carretilhas a madeira
e de barro as presilhas
dobrada camisa de linho
para depois do banho do torso
A estrada é o que merecem os pés
que ultrapassam o decomposto

Desfolha a melhor resposta
a mente que nã…