Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2011

Natal do Zé Gaúcho

São muitos os trabalhos sociais, em SilVânia, na época do Natal. Aproveitei para visitar o momento da entrega dos brinquedos do Natal do Zé Gaúcho. Eram dois e oitocentos kits de brinquedos para 2800 crianças. Mais ou menos 2500 kits entregues. e os demais serão distribuídos diretamente nos bairros. Com café da manhã. Parabens ao Zé Gaúcho! Apareço na foto com o Célio Silva (D) (diretor da Rádio Rio Vermelho), a Cidinha (no centro, esposa do Zé Gaúcho), e outros auxiliares dos trabalhos.

Folia do seu Inácio e Dona Iraci

Volto a Silvânia para rever familiares e participar do pouso de folia na casa da Dona Iraci e do Seu Inácio. A Folia de Reis, festividade típica de Goiás, que alimenta as reminicências de minha infância, era uma das paixões de meu pai. Eu, garoto, ficava a ouvi-lo treinar as cantorias deitado no longo champrão que servia de banco na cozinha.

A cantoria da folia é religiosa e serve para criar liames sociais, fortalecer amizades. Agradeço aos foliões a oportunidade de fazer uma foto no momento da chegada e, à Dona Iraci, a permissão para sairmos juntos juntos na foto depois de ela ter recebido a bandeira. Foi uma noite especial, com um jantar maravilhoso. Pena que não consegui entrar na noite para assistir as apresentações de catira - outra dança goiana.
Ai Goiás!

Troféu Tiokô

Nesta quarta-feira, 30, em solenidade no auditório do Instituto Histórico e Geográfico do Estado de Goiàs, recebi o troféu Tiokô na categoria Prêmio Especial Goiás  - Personalidade goiana residente fora do Estado de Goiás que mais se destacou na área da literatura no cenário Nacional e Internacional no biênio 2010/2011, concedido pela UBE, seção de Goiás, atualmente dirigida pelo poeta e amigo Edival Lourenço. Trata-se do primeiro prêmio que recebi em Goiás, e que muito me incentiva a continuar a trabalhar junto às minhas raízes litarárias goianas. Não tenho uma relação nostálgica com Goiás, pois nostalgia pressupõe uma relação onde as coisas parecem paradas no tempo, mas de relação crítica, às vezes conflituosa, para gerar perspectivas produtivas. Lembrei, ao agradecer o prêmio, que a literatura para mim, é produção de texto, de alegria e de amizade. A literatura em Goiás, para mim, é um celeiro de amizades. Agradeço a todos da UBE-GO que esteveram envolvidos na concessão deste prê…