Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2015

Rua da Direita

Enquanto nada acontece vamos fazer uma pergunta ou dar uma resposta
Ou dar um oi
já que hoje não temos passeio ao rio dos Bois
Para ceifar o matagal
tirar as foices da viga do paiol
Chegou a visita?
Ronda teu nariz algum mosquito?
Há a rua enorme e vazia e silenciosa
à espera das crianças com os skates
Ou só o dia enorme e indiferente
com a igreja do Senhor do Bonfim no fim da rua
Vestir a boa roupa
e ficar elegantes para pensar coisas grandes
e não surgem na rua os elefantes
Até as formigas descansam a esta hora
e vazio fica o terreiro
Quase estamos presos numa masmorra de Palmelo
Já assisti nessa paisagem de adormecida poeira e de desânimo

Publicação no Diário da Manhã

Aguardo com ansiedade meu exemplar do livro analisado abaixo. Alguns poemas aparecem junto com os bons goianos:
Sublimes linguagens:  harmonia e perfeição sob a tutela de Elizabeth Caldeira Brito
O homem, desde os primórdios de sua existência, foi impulsionado a expressar os seus sentimentos. Na sua simplicidade, entrou no mundo das artes, grifando nas rochas e elaborando esculturas, contando com o material que tinha em mãos. Mais tarde, começou a usar as palavras gravadas nas pedras e a explorar os recursos de voz para emitir sons musicais. Externar emoções é inerente ao ser humano.
As artes, a literatura e a música sempre caminharam juntas no decorrer do desenvolvimento da civilização. Gradativamente, surgiram grandes talentos, porém, a posteridade tomou conhecimento apenas do material que foi registrado. Quantas maravilhas foram apreciadas, na época em que foram produzidas, e se perderam no tempo sem deixar marca para que outras gerações pudessem desfrutar desse acervo c…

Enquanto o engano

Continuo no ponto de espera enquanto há o engano na duração de uma lua com a extinção da água na cornucópia de Orfeu Nos barris negros enquanto não foram vapor e nem me interpor nas curvas das assinaturas
entre os acordos das coordenadas
Na fixação do rosto na podridão do assédio
e ser assaltado pelo despudor da falha dentária
To be/não me engano com a mão empurrada para o vértice das pernas enquanto se apresentam as moscas sicilianas que vieram de um diálogo do filme de Losey Não me engano pela troca da espingarda pelos acres de terra/ficar este ser sem onde atirar/mirar ao Norte entre os saltos das ondas do bestiário
Não é por ludíbrio que todos se ausentam Talvez por conhecer os estirões nos joelhos a desnecessária vara do pau-de-arara Talvez pelo balde vazio/pela covardia de não se mover no engarrafamento Acreditar-se com a riqueza enviada pelas barreiras do câmbio suíço e ter de balançar o berço de talas do Calvário
Curto meu ócio/minha viagem habitada por bivalves que ofuscam as vulvas do significad…