"Há certos dias em que acordo com uma esperança demencial, momentos em que sinto que as possibilidades de uma vida mais humana estão ao alcance de nossas mãos." Quando se fala tanto nos primeiros parágrafos dos grandes livros, lembro-me desta frase de Ernesto Sábato, do pequeno livro de ensaios A Resistência, que acaba de chegar às livrarias pela editora Cia. das Letras.
Sou uns dos admiradores de Ernesto Sábato. Estão no meu sangue aqueles autores que injetam humanismo nas suas metáforas. Não é à-toa que está ali na primeira frase do livro "a vida mais humana", pois a vida às vezes se emporcalha na mercantilismo, na frieza de coração... Já que o livro está agora em português, tomemos um pouco de humanismo, lendo-o. Talvez eu até vá relê-lo. Trata-se de um pequeno coice no egocentrismo.


Comentários

por amor disse…
a resistencia
ernesto sabato
[argentina]
eu tenho esse livro na estante, presente de um amigo aqui de sao paulo, nunca o li, apenas sei que ernesto escreveu esse livro agora, com 100 anos de idade, voce me despertou o interesse, vou le-lo.
abç
aline

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha sobre o filme "300"

ULISSES, de Tennyson