Acabo de receber um email carinhoso do amigo Donaldo Mello:

Prezado Salomão Sousa,

na mesma ocasião em que não poderia comparecer à sua palestra na ANE, felizmente que, presenteado pelo poeta A.C. Osório com o vol. 18 da Revista da Academia Brasiliense de Letras (2005), no dia da posse do Taveira, seu belo texto atemporal A perene aurora de José Godoy Garcia a mim chegou. Li-o comovido, apreciando o desvelar contínuo de um homem (amigo), de um autor e sua vasta obra, provavelmente fruto de um grande poeta e fundo pensador da vida, regido pela natureza e suas imprevisibilidades.Portanto, continuando a ser seu leitor, aprendi um pouquinho mais sobre a poesia goiana e sabedoria de um grande poeta: "perene aurora". Ele, capaz de ensinar como Sêneca propunha, que a felicidade consiste em se adaptar à natureza ( "a poesia é tudo o que pássaro pensa da chuva") para manter um equilíbrio que nos deixe a salvo das vaidades da fortuna e dos impulsos do desejo que obscurecem a liberdade.Meu abraço fraterno e cumprimentos pelo seu fidelíssimo canto de bem querer, Donaldo Mello

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha sobre o filme "300"

ULISSES, de Tennyson