setembro 22, 2011

Silvia Perazzo

Surpreendeu-me a elegância dos poemas do livro "Kommos a uma só voz", de Silvia Perazzo, avó de Philippe Perazzo, nosso colega de trabalho. Poemas angustiados, mas lindíssimos. Informam-me que, além de poeta, é também compositora. Informam também a festa de lançamento do livro foi extraordinária, concorrida e aplaudida. Campina Grande (PB) está de parabens. Vejam este

SENTIDO PRÓPRIO


Plasmada na tristeza?!...
         Ainda não alcancei
                   o sentido de mim!
O que hoje sou?
                    Poeira de estrada?
                    Erva rasteira?
                    Raios frios de sol poente
soterrando-me na febre
                                     dos sentidos a fenecer?
          Descrente
                     plasmada na incerteza?...
Nada fui além de mim                   
                     que a mim cansou
Na sinuosidade dos sentimentos
meu eu ultrapassou
                                       só para mim mesma?
Só sei que eu não sei
porque sufoquei verdades
          — fingi...
          — fugi...
e me perdi na idade
          ladeada de lágrimas cortantes
sem mais cânticos para crecuperação
                                           que liberte.


Nenhum comentário: