setembro 16, 2012

Tropicália

Voltei ao cinema. Desta vez para assistir o documentário "Tropicália", acompanhado dos amigos Poesia Iberoamericana Antonio Miranda e Zenilto. O filme se destaca pela recuperação de imagens do movimento, principalmente de Caetano Veloso cantando "Asa Branca" - ponto altíssimo do filme, junto com o depoimento de Tom Zé. O cinema estava vazio, mas será que a juventude terá interesse em participar  
criticamente dos movimentos artísticos e momentos históricos do País? A tropicália se deu num instante em que a juventude queria participação, queria produzir. Hoje em dia a coisa tá melancólica. Fui à pecuária de Silvânia e fiquei entristecido. Até julguei que na cidade não tenha promotoria. Como é que as autoridades permitam que as famílias tenham de participar de shows construídos só com palavrões e músicas do mais baixo (deixa pra lá). Olha, essa música "minha capirinha está com cheiro de..." é vergonhosa. Os eventos custeados com dinheiro público devem ser melhor monitorados na qualidade, e em condições que não tenham de merecer censura! Ai, sodades da tropicália, do Clube da Esquina, da resistência de Chico Buarque!

Nenhum comentário: