Correção da tradução de um poema de Cesar Vallejo

Pedra negra sobre uma pedra branca


Morrerei em Paris com aguaceiro,
num dia do qual já tenho lembrança.
Morrerei em Paris — e não me apresso —
talvez numa quinta-feira, como hoje, de outono.

Será quinta-feira, porque hoje, quinta-feira,
em que proso esses versos, pus os úmeros
na malas e, nunca como hoje, me deixei,
com todo o meu caminho, a me ver só.

César Vallejo morreu, surravam-no
todos sem que a eles não tenha feito nada;
lhe batiam duro com um pau e duro

também com uma soga; são testemunhas
os dias de quinta feira e os ossos úmeros,
a solidão, a chuva, os caminhos…

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha sobre o filme "300"

ULISSES, de Tennyson