dezembro 24, 2010

Luiz Martins da Silva

Amar sem fim
 
 
 
Amar a esmo,
A qualquer ser.
Até a lesma
Sabe lhe lamber.
 
Amar é o Verbo,
Palavra-clave,
Parábola-chave,
Chama do verso.
 
Amor sem limite,
Do grão ao Graal,
Da gota ao mar,
Da flor ao infinito.
 
Onda de encanto,
Formiga no tempo,
Abelha e baleia.
 
Chuva ou vento,
Pólen ou poeira,
Homem ou sereia.

Nenhum comentário: