Pular para o conteúdo principal

Autógrafos do blog - José Santiago Naud

(Clicar nas imagens para ampliá-las)
Foto: Salomão Sousa



Amadureci uma amizade valorosa com o poeta José Santiago Naud desde os os primórdios de meu relacionamento com a Associação Nacional de Escritores. Ainda sem obra publicada, eu e o Wil Prado sentávamos cautelosos entre Almeida Fischer, Luiz Beltrão, Domingos Carvalho da Silva, Santiago Naud, Fernando Mendes Viana, Anderson Braga Horta na sala da associação (215 Sul). Firmei muitos de meus conhecimentos sobre literatura ali naquelas conversas noturnas, comendo amendorim torrado e tomando coca-cola. Acredito que a melhor escola de poesia não é na escola, mas nos bancos públicos das ruas e com o corpo a corpo com outros poetas. Através de encontros, desencontros e encontrões. Senão vira uma poeta de gabinete, frio e desalentado.
José Santiago Naud é um dos fundadores da UnB e um dos importantes brasileiros com os pés em Brasília. Sua obra vem sendo estuda com carinho pelo poeta Floriano Martins. Consultar mais imformações sobre Santiago na página do Antonio Miranda

CAVALO MORTO
 
Morto.
A cabeça tão bela,
outrora insofrenável, agora
ropousando nos vermes. O corpo
terso, enorme,
                        inominável já,
colando-se na terra. E a grama
vencendo a repugnância
ensaia terna
                     uma cor mais nova.
 
Antes, uso. Agora,
memória mal exposta. Signo
do tempo. Meditação confusa.
Velocidade podre.
Das patas ágeis
- persistência patética –
restam os cascos,
apenas restos de cabelos escuros.
Sobre,
o arcanjo da destruição passa
sombrio, e enfeixa
aquela descomposta figura
nos silêncios da espada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha sobre o filme "300"

Por Ana Paula Condessa

Todo filme tem seus méritos, seus pontos fortes, mas também tem furos e contradições. O filme 300, já em exibição, surgiu da história em quadrinhos “Os 300 de esparta” - criada e desenvolvida por Frank Miller. É impressionante a grandeza da produção do filme que chega a representação, com muita propriedade, por retratar a batalha que enfrenta o rei Leônidas -,os soldados espartanos, seus aliados contra o exército persa de Xerxes, na Batalha das Termópilas -, desfiladeiro da Grécia. Esparta - é uma sociedade que é toda voltada para a arte da guerra e todos os indivíduos, que dela fazem parte, são instruídos para tal. No filme é passado muito do que era Esparta e seu contexto, algo de muito valor para compreender a essência da Batalha das Termópilas - . A guerra é o meio de vida dos espartanos e, antes mesmo desta grande batalha que ficou para a história e, cujos métodos e estrutura de guerra foram usados por muitos anos em batalhas posteriores, eles moldaram um im…

ULISSES, de Tennyson

Depois que li esse poema toda minha concepção de poesia foi alterado. Não me satisfez a tradução que aparece no livro de Harold Bloom, Como e por que ler os clássicos, pois, para respeitar a métrica, acabaram cortando parte do enunciado - e isso refletiu na perda da dramaticidade. Fiz a minha adaptação livre a partir do espanhol. Auuuuuuau!!!!! Há uma tradução de Haroldo de Campos que saiu numa edição do Mais!


Fútil o ganho para um rei nada útil,
na calma do lar, à beira de penhas áridas,
unido a uma idosa esposa, a impor e dispor
iníquas leis a uma raça selvagem
que come, e amealha, e dorme, e de mim nem sabe.
A mim não resta senão viajar: beberei
a vida até o fundo. Sempre desfrutei
da fartura, e com fartura sofri, junto àqueles
que me amavam com amor ímpar; e, em terra,
arrastado pela corrente, as chuvosas Híades
agitavam o lúgubre mar: ganhei nome:
para sempre vagando com coração ávido,
vi, possuí, e muito conheci; cidades de homens
e costumes, climas, conselhos, governos,
nunca com desprezo, ma…