Consegui resgatar contato com Anito Steinbach, poeta e meu professor do segundo grau.
Mandou-me do sul as suas impressões sobre o meu livro Estoque de relâmpagos:

Recebi seus livros. Muito obrigado! Examinei, no final de semana passado, "Estoque de Relâmpagos", garimpando metáforas, que constituem a essência da expressão poética. Sou hoje, aliás, um caçador de metáforas. Vale a pena às vezes passar na batéia todo o cascalho de versos de um livro de poemas para, de repente, ver cintilante o diamante de muitos quilates de uma metáfora.

Dito de outro modo, o livro de poemas é um universo com muita poeira cósmica e espaço vazio, onde luzem raras e ocasionais estrelas de um verso ou estrofe criativa e sabiamente construído em imagem metafórica.

Encontrei em "Estoque de Relâmpagos" as jóias que abaixo transcrevo. Em breve, examinarei "Ruínas ao Sol", cujo título luz já intensamente.

Abraço

Anito Steinbach

Não manipulo nada
apenas transporto sentidos
E é pouca a página
para campo de batalha (17)

Os encontros vão se repetir
ainda que sejamos os peritos das recusas
...
Fugíamos dos mesmos abraços
das palavras dos mesmos amigos
e caímos por falta de afetos (35)

Fui a nulidade
Nem uma alimária
vem se coçar em minhas cascas (43)

Ninguém consegue escapar
do álbum de família (59)

O fruto só pode morrer
se for enterrado na boca (73)

Ela é uma bola de cristal
com um sol dentro (77)

Os meus bens estão mortos
Os meus bens são de luto (91)

Sou balsa que não alcança a margem
Sou sol que não alcança a soleira (126)

Os cachos do desejo estão prontos
granados na pura madureza (128)

Comentários

whisner disse…
salomão, grato pela lembrança. para envio de seu livro, o endereço é: caixa postal 17, sertãozinho-sp, cep 14160-970. obrigado pelo presente. lerei com atenção. abraços.
Anônimo disse…
Eu também gostaria de resgatar o contato com o Anito. Estudei com ele na faculdade, depois ele foi para São Paulo e acabei perdendo o contato dele. Meu email é claudialisboa@globo.com

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha sobre o filme "300"

ULISSES, de Tennyson