Pular para o conteúdo principal

Enquete de Francisco Nobrega Gadelha

O argentino Ricardo Piglia, em O último leitor, recentemente lançado pela Cia das Letras, lembra que vem do romance Robson Crusoé este hábito de fazermos a pergunta sobre os livros que levaríamos para uma ilha deserta, pois, em seu isolamento, Robson Crusoé fica lendo passagens aleatórias da Bíblia para reconfortar-se da solidão e lembrar-se que veio da civilização.
A minha resposta é feita assim sem muita avaliação, com espontaneidade. Talvez eu até substituísse (logicamente acrescentaria muitos outros) algum título:

1) Invenção de Orfeu, de Jorge de Lima
2) Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa
3) A Divina Comédia, de Dante Alighieri
4) As Elegias do Duíno, de Rilke
5) A Metamorfose, de Kafka
6) Memórias do Subsolo, de Dostoievski
7) La Oveja Niegra, de Augusto Monterroso
8) A autobiografia de Ghandi
9) A Paixão Segundo G.H, de Clarice Lispector
10) S. Bernardo, de Graciliano Ramos
11) Madame Bovary, de Gustave Flaubert
12) O Grande Gatsby, de Fitsgerald
13) O Visconde Partido ao Meio, de Italo Calvino
14) As Ilusões Perdidas – Honoré de Balzac
15) Confesso que Vivi – Pablo Neruda
16) O Jogo da Amarelinha – Cortazar
17) O Homem sem Qualidades – Musil
18) Memórias Póstumas de Bras Cubas – Machado de Assis
19) Raízes do Brasil – Sérgio Buarque de Hollanda
20) Ana Karenina – Tolstoy
21) Júlio Cesar – Sheakespeare
22) A Gaia Ciência – Nietzsche

O contato que me fez o autor do questionamento:
Sou Francisco Nobrega Gadelha, médico, 60 anos, residente em Sousa-Pb.(Brasil) e, para fins de trabalho literário, estou fazendo uma pesquisa junto a leitores e opinadores do Submarino(de todo Brasil e Portugal) com a seguinte pergunta: QUE LIVROS VOCE SALVARIA DE UMA CATASTROFE OU QUE LIVROS VOCE LEVARIA PARA O SEU ISOLAMENTO? (20, mais ou menos) Peço-lhe a gentileza de responder. No final, voce saberá do resultado da pesquisa. Enviarei . Agradeço. Francisco N. Gadelha

Comentários

Anônimo disse…
Veja bem, sem querer, descobri um escritor. E atencioso. Pelos livros escolhidos, vê-se o Norte da sua intelectualidade. Estendo a pergunta a quem quiser responder. Mande para o e.mail de:dr.titi@ig.com.br
Grato.Francisco N.Gadelha(sSousa-Pb.)

Postagens mais visitadas deste blog

SAUDAÇÕES AO ROMANCE DE WIL PRADO

Wil Prado é uma de minhas amizades mais firmes desde que cheguei a Brasília. Desde nossos passos iniciais na literatura, foram vívidos debates e percursos juntos pela cidade. Por muros vários que atravessam a nossa vida, Wil Prado demorou a publicar seu primeiro livro. E é com alegria que vejo que figuras importantes da literatura brasileira, de cara, se manifestarem favoravelmente ao seu romance SOB AS SOMBRAS da Agonia, editado pela Chiado, de Portugal, do qual foi leitor desde as primeiras versões até o momento de escrever a apresentação. Acredito que são poucos que merecem uma manifestação eufórica de Raduan Nassar.  E, ainda, de João Almino, que acaba de ser eleito para a Academia Brasileira de Letras.
(...) SOB AS SOMBRAS DA AGONIA me tocou sobretudo pela linguagem, por palavras novas, metáforas bem sacadas, e os empurrões articulando o entrecho. Além disso, o romance arrola no geral gente do povo, ao lado de uns poucos salafras da elite, com caracterizações convincentes, inclusi…

Resenha sobre o filme "300"

Por Ana Paula Condessa

Todo filme tem seus méritos, seus pontos fortes, mas também tem furos e contradições. O filme 300, já em exibição, surgiu da história em quadrinhos “Os 300 de esparta” - criada e desenvolvida por Frank Miller. É impressionante a grandeza da produção do filme que chega a representação, com muita propriedade, por retratar a batalha que enfrenta o rei Leônidas -,os soldados espartanos, seus aliados contra o exército persa de Xerxes, na Batalha das Termópilas -, desfiladeiro da Grécia. Esparta - é uma sociedade que é toda voltada para a arte da guerra e todos os indivíduos, que dela fazem parte, são instruídos para tal. No filme é passado muito do que era Esparta e seu contexto, algo de muito valor para compreender a essência da Batalha das Termópilas - . A guerra é o meio de vida dos espartanos e, antes mesmo desta grande batalha que ficou para a história e, cujos métodos e estrutura de guerra foram usados por muitos anos em batalhas posteriores, eles moldaram um im…