Para que não se espalhe
a tosca palha sobre as ilhas
que te aguardam
o sangue sobre o cetim
que te aquece
terás de limpar hoje
terás de limpar amanhã
Para que o pavor
não seja a cor do teu quarto
ou a porta que te fecha
terás de te entregar hoje
terás de te entregar amanhã
Para que te protejas
antes que venha a frieza
que enrijece o punho
e não vir a força
e não vir o desfecho
Para que o fogo aqueça
terás de acender hoje
terás de acender amanhã

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha sobre o filme "300"

ULISSES, de Tennyson