Vida Breve, de Dowson

[O poema"Vida Breve", de Dowson, que aperece no filme Laura]
Não encontrei uma tradução confiável e nem sei se é confiável a minha adaptação, mas mesmo assim é belo:

Não são duradouros o choro e o riso,
o amor, o desejo e o ódio,
Penso que não fazem parte de nós
depois que passamos pela porta.

Não são duradouros os dias de vinho e de rosas:
saído de um enevoado sonho,
Nosso caminho emerge por algum tempo, e depois se fecha
dentro de um sonho

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha sobre o filme "300"

ULISSES, de Tennyson