janeiro 31, 2014

MELINA GUTERRES


TOLOS
 
maio de 2010.

I

Do céu vem pedras
No chão há pedras
Paredes, muros, palavras...
Mãos..

Que venham as pedras...

Mas cuidado com o louco,
Este insiste em jogar flores,
Mais cuidado com o mago,
Tão perigoso quanto,
É alquimista,
Transforma flores em sementes

Mas recolham suas pedras
Quando cruzarem com os ingênuos,
Filhos de magos e loucos,
Estes geram frutos...

Não sejamos tolos,
Eles não acreditam em pedras...

II

E estão cercados de bons e maus administradores
Que asseguram sua proteção,
Os bons enfrentam tempestades
Os maus deixam estragar uma colheita

Mas...
Filhos de loucos com magos,
não se cansam de plantar,
Ingênuos,
são na essência,
unicamente
coração,
por isso
dão frutos,
não pedras


III

Lobos e leões
Os cercam,
Um vento forte surge,
Em silêncio se despedem os tolos
A tempestade se aproxima
O fruto vinga
Leões e lobos o devoram
O ingênuo?
Foi plantar em outra terra
Mais preparado
Mais próspera
Sem animais,
Ele aprendeu
A fazer a cerca.

IV

E os tolos
Defendem-se através de palavras
Os ingênuos nada falam
Bastam em suas mãos os calos
Nas vestes sementes
Só o cego não vê,
Mas este tem o tato
Do discurso está fadado
Ele sente


V

Num suspiro, aliviado (após tantas vozes)
O cego pede silêncio e questiona:
E tu ingênuo, o que tens a dizer?
Ele então responde:
Pudera voltar acreditar no que um dia ouvi e abracei.
Mas? – pergunta o cego
- Não acredito em discursos!

VI

Um silêncio toma conta
Do lugarejo
Os tolos se retiraram com suas pedras
Os animais desistiram de esbarrar na cerca do novo plantio
E o cego foi levado a casa
Pelo ingênuo

VII


O povo se reune
O ingênuo não era ingênuo
Quem era este então?
Um louco responde:
O cidadão!
Como ninguém acredita em loucos...
Pedras no louco...

VIII

O cego ao ouvir o barulho,
Perguntou:
O que jogam no louco?
Pedras – respondem
E o que ele joga?
Flores
Por que cego? – pergunta algum tolo
Alcancem-me as flores, pois devo estar louco
Mas ninguém joga pedras num cego – insiste o tolo
Ele então responde:
Prefiro as pedras à cegueira.
O tolo, então, pronuncia:
Cuidado com o cidadão!!!,
Este é altamente perigoso,
Acaba de dar ao cego,
A visão!

Um comentário:

Melina Guterres disse...

Salve, Salve Salomão! Gracias por este espaço! :)